comportamento category image

O machismo de todos os dias


28.nov.15 | 1 Comentário

Toda vez que eu escrevo um texto, eu contrario a principal regra que uma professora de português me ensinou ainda no fundamental. Sempre gosto de pensar primeiro no título, porque a partir dele eu consigo desenvolver minha história. Isso pode não fazer sentido nenhum para alguns, mas para mim faz todo – e cada louco com sua mania, não é? Quando pensei em escrever este post, fiquei muito na dúvida se colocava o título que vocês estão vendo, ou “Inclusão, um papo sobre situações que você sofre, mas não sabe descrever”, ou algo parecido, mas acabei escolhendo o mais curto mesmo, pelo simples fato de ser mais inclusivo e objetivo, que é justamente o objetivo desse post.

Recentemente alguns termos – que confesso ter conhecido há pouco tempo – têm me chamado bastante atenção. Termos que por vezes não consigo pronunciar corretamente, por não ter um inglês fluente, mas que entendo muito bem o significado. E fiquei pensando em todas as mulheres que conhecem intimamente o significado de cada termo, mas não o conhece pelo mesmo motivo que eu não conhecia. A partir daí, pensei no quanto seria legal transformar esses termos complicados, em um dicionário feminista, com uma linguagem mais simples, objetiva e inclusiva para que todas as pessoas – até as que nunca ouviram falar sobre feminismo pudessem entender. Esses termos estão presentes no nosso cotidiano, enraizado no machismo de todos os dias.

ab

mo

hic

mp

pn

Esses cards me deram um trabalhão, mas fiquei muito orgulhosa do resultado final. Alguns termos foram traduzidos livremente, por não haver uma tradução literal. Para concluir este trabalho tive o apoio de duas queridonas: Letícia Cerqueira, dona do blog Naturalíssimas e a Vitória Lourenço, duas pretas super empoderadas que estão me ajudando muito nessa longa jornada que é a luta ~ diária ~ contra o patriarcado. Também utilizei o texto: “O machismo também mora nos detalhes”, do site Think Olga como referência e o dicionário feminista de um grupo maravilhoso do qual participo no facebook.

Podem usar os cards livremente, só peço que não retirem os créditos. E espero ter ajudado a quem tinha dúvida sobre alguns termos. E sinto muito por quem já passou por uma dessas situações – aliás, quem não passou?

Mulheres, só quero que saibam que vocês não estão sozinhas e que não ficaremos mais caladas.

ME SIGA NO INSTAGRAM @CAMISANTOSBLOG